quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Decretada prisão de policiais do PR que mataram PM no RS



A Justiça do Rio Grande do Sul decretou a prisão temporária dos três policiais civis do Paraná que atiraram contra o sargento da Polícia Militar gaúcha Ariel da Silva. O caso aconteceu na madrugada desta quarta-feira em Gravataí (região metropolitana de Porto Alegre), quando a vítima, que não estava em serviço, morreu após ser atingida por cinco disparos. De acordo com o comandante do 17° Batalhão da Brigada Militar, Dirceu Lopes, eles já estão presos em seu Estado e devem ser enviados ao Rio Grande do Sul.

Ariel trabalhou até por volta das 20h e, em torno da 1h de hoje, a 150 m de casa, viu um carro com placa do Paraná. Ao se aproximar, de moto, foi baleado. De acordo com o tenente-coronel, os policiais afirmaram que o PM atirou primeiro. "Tese que não achamos pertinente", disse Lopes, que afirmou que o caso tem que ser investigado inclusive pelo governo do Estado. O sargento estava há 21 anos na corporação e há 1 ano e meio no setor de inteligência, sempre com excelente comportamento, segundo o comandante do batalhão.

Lopes afirmou que os agentes não tinham mandado para executar ação em solo gaúcho - a fim de "dar prosseguimento a uma investigação sigilosa a respeito de uma quadrilha acusada de praticar o crime de extorsão mediante sequestro", segundo nota no site da Polícia Civil do Paraná - e não avisaram as autoridades do Rio Grande do Sul. Além disso, após dispararem, não teriam prestado socorro. "Eles alegaram para mim que têm essa orientação para não dar a ideia de que mexeram no corpo", disse Lopes. Contudo, o comandante afirmou que a moto da vítima teria sido mexida, assim como a posição da sua arma, fatos que devem ser investigados, na opinião do tenente-coronel. Ainda conforme Lopes, quem prestou socorro foi um policial de Gravataí que encontrou Ariel agonizando.

Polícia do PR lamenta mortes

Por meio de nota em seu site, a Polícia Civil parananese lamentou a morte de Ariel e afirmou que seus policiais solicitaram socorro de imediato à vitima e prestaram depoimentos à delegacia local. Uma segunda equipe da Polícia Civil do Paraná foi deslocada para o Rio Grande do Sul, para prestar auxílio às investigações.

"Ao chegar no município por volta da meia noite de hoje, os policiais, armados de pistola, relataram que estavam sendo seguidos por um homem em uma motocicleta. Até que, em um semáforo, o homem abordou o veículo dos policiais. Houve troca de tiros, culminando com a morte do homem posteriormente identificado como sargento da Brigada Militar", disse o comunicado.

Ainda de acordo com a nota, "a equipe tinha o objetivo de oficializar o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) do Rio Grande do Sul, quanto à presença dos policiais paranaenses, logo pela manhã".





Fonte: Portal Terra


MAT�RIAS RELACIONADAS:

0 comentários: