quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

SERTÃO CENTRAL:
Mombaça tem maior chuva da pré-estação

Reportagem: Diário do Nordeste

Foram 102 municípios banhados pelas chuvas entre terça-feira e ontem. Segundo a Funceme, são águas da pré-estação

Mombaça. A pré-estação invernosa chegou com força no Sertão Central. Na noite da terça-feira, esta cidade registrou a maior chuva do ano no Estado. De acordo com a Funceme, foram registrados 164,2 milímetros. A precipitação começou por volta das 21 horas e veio acompanhada de fortes ventos, relâmpagos e trovões que assustaram os moradores. Parte do centro comercial e a Rodoviária ficaram alagados e no Bairro Recreio, na periferia, paredes internas de uma casa caíram.

A chuva concentrou-se na área urbana. Na zona rural foi de menor intensidade. O elevado volume de água inundou cerca de 20 lojas no Centro da cidade e a Rodoviária. O nível da água nos guichês de venda de passagens ficou acima de 40 centímetros. Os empresários sofreram prejuízos causados pelo alagamento. A manhã de ontem foi dedicada à retirada das mercadorias estragadas e a limpeza das lojas.

No Bairro Recreio, periferia da cidade, uma casa caiu parcialmente. O proprietário conhecido por Pedro Caboclo saiu com a família antes das paredes internas caírem. "O susto foi muito grande", contou. "A água veio com força, por trás, mas deu tempo de todos saírem".

Escoamento das águas

O secretário de Infraestrutura do município, Gilvan Teixeira de Souza, disse que não houve estragos em ruas e estradas. "A cidade não é plana e esse tipo de topografia facilita o escoamento das águas", explicou. "Tivemos apenas que fazer retirada de areia e entulho de construção em algumas vias e a limpeza do Terminal Rodoviário".

Souza relatou que na noite de terça-feira ficou preocupado em decorrência do excesso de descargas elétricas e dos trovões. Esse mesmo temor demonstrou o gerente do escritório local da Ematerce, José Borges Ferreira. "Confesso que fiquei com medo por causa da tempestade com muitos raios e fortes trovões", contou.

A leitura do pluviômetro da Ematerce foi feita por Borges às 7 horas da manhã de ontem. O pluviômetro da Ematerce é utilizado oficialmente pela Funceme. Cada milímetro de chuva significa um litro de água por metro quadrado. Anteontem em Mombaça, foram 164 litros por metro quadrado.

O radialista Filho Galdino, morador da cidade, também ficou apreensivo com a precipitação e relatou o desabamento parcial de uma casa e a inundação de lojas comerciais. "Nunca tinha visto uma chuva tão grande assim. Foi assustador", disse. Caso as ruas da cidade fossem planas, os estragos certamente eram maiores.

O comerciante Raimundo Galdino contou que sacas de açúcar e arroz que estavam no chão ficaram estragadas. "A água ficou numa altura de meio metro dentro da loja", contou.

O casal João Cezar e Vanda Mota, donos de uma farmácia, que moram em um primeiro andar sobre a loja, desceram durante a chuva para instalar tábuas, uma espécie de comporta, com suportes, para evitar a inundação no local.

A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) informou que a chuva registrada em Mombaça foi, até o momento, a maior contabilizada este ano. De acordo com o meteorologista Eduardo Peixoto, a precipitação foi provocada pela atuação de um sistema chamado de Vórtice Ciclônico de Ar Superior, comum na pré-estação chuvosa do Ceará (dezembro e janeiro). "Esta chuva também foi intensificada pelo sistema local de ventos que trouxe mais umidade para o Estado do Ceará no fim da tarde, horário em que ocorreu a precipitação", explica. Segundo a Funceme, choveu, do dia 19 para o dia 20, em 102 municípios, sendo registradas precipitações maiores que 50mm em 23 cidades.

Tábua de chuvas

Mombaça 164,2mm
Mcambo 112mm
Dp. Iap. Pnheiro 97mm
Aurora 94mm
Tamboril 87mm
Pedra Branca 86mm
Lav. da Mangabeira 82mm

Fonte: Funceme

MAIS INFORMAÇÕES
Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme): (85) 31011100/ 31011088
Escritório da Ematerce em Mombaça
(88) 3583. 3436

ZONA NORTE

Árvores tombam após ventos fortes

Sobral. Chuvas e fortes ventanias também foram verificadas neste município. Os ventos derrubaram três árvores, interrompeu o fornecimento de energia elétrica em alguns bairros da cidade e um campo de futebol ficou completamente alagado. Segundo informações do comandante do Corpo de Bombeiros de Sobral, capitão Roberto Moraes, durante a chuva não foi registrada chamada de socorro a vítimas. "Apesar da chuva forte, não houve incidente", disse Moraes, acrescentando que a situação era de normalidade na manhã de ontem.

As árvores que caíram em decorrência das chuvas estavam localizadas em ruas do Centro. Uma delas, considerada centenária, ocupava o jardim da praça do Terminal Rodoviário da cidade.

Houve registro de pontos de alagamento em alguns locais da cidade. A situação mais crítica foi registrada num campo de futebol, no Bairro Alto da Brasília, que ficou alagado, mas as águas não chegaram a invadir as casas mais próximas.

A Defesa Civil considera a previsão de mais chuvas e ventania no decorrer do dia. Para tanto, recomenda que a população evite locais com tendência a alagamentos, ficando atenta às áreas com risco de deslizamentos. O órgão também pede que a população evite trafegar por lugares que ofereçam pouca proteção contra raios e ventos fortes.

Sobral foi, no ano passado, um dos municípios que mais sofreu com as chuvas. O nível do Rio Acaraú que corta a cidade, chegou a atingir uma altura de sete metros, inundando casas e deixando comunidades totalmente isoladas.

Verba federal

O Ministério da Integração Nacional já liberou a verba destinada a construção, recuperação de casas e de passagem molhada e estradas. Está disponível para atendimento às vítimas das enchentes do ano passado cerca de R$ 4,2 milhões.

A maioria dessas famílias a ser beneficiada reside na zona rural do município. Moradores dos distritos de Jaibaras, Bonfim, Aracatiaçu fazem parte da lista e aguardam o processo licitatório para receber as novas moradias. A coordenação da Defesa Civil informou que as moradias que tenham sido construídas serão demolidas e erguidas outras, bem distante do local em que ficaram inundadas.

Profetas

Ontem, também choveu com intensidade durante toda a madrugada nos municípios de Canindé, Caridade, Itatira, Paramoti, General Sampaio e Tejuçuoca. Confirma o que os profetas populares da região estão prevendo para a estação. Segundo eles, as chuvas chegariam a partir do dia 20, Dia de São Sebastião. São os profetas das chuvas de Tejuçuoca, participantes do VII Encontro coordenado pela Prefeitura. Durante cinco horas, eles fizeram previsões.

HONÓRIO BARBOSA/ Wilson gomes
Repórteres


MAT�RIAS RELACIONADAS:

0 comentários: