quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Quixadá:
Cedro permanece sem reparo

Injeção de concreto nas juntas dos blocos da parede Do Açude do Cedro. Essa foi à solução preliminar apontada pelo geólogo Francisco Orinaldo Oliveira e o técnico de engenharia Assis Teles, do Departamento de Engenharia do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), após avaliação dos locais afetados pelas infiltrações. Eles estiveram na última terça-feira em Quixadá.

Os técnicos observaram as infiltrações na barragem e conferiram as fissuras entre algumas junções das rochas transformadas em tijolos. Atribuíram o problema à dilatação e contração do material rochoso, afetado pela incidência dos raios solares, conforme havia previsto o coordenador estadual do Dnocs, engenheiro agrônomo Eduardo Segundo.

O fenômeno térmico costuma ocorrer em determinadas épocas do ano, com o calor do dia e o frio da noite. Como o açude comporta um considerável volume de água, cerca de 30% de sua capacidade, o processo de rejuntamento com concreto deverá ocorrer por meio de pressão. Uma empresa especializada será contratada. Oliveira e Teles destacaram, porém, tratar-se de uma avaliação preliminar da situação. segundo os técnicos, somente após a realização da operação de manutenção será possível detectar se há comprometimento na estrutura.

Quanto à recuperação da comporta de controle de vazão da água do açude, Teles informou já ter sido designado um engenheiro mecânico para inspecionar o equipamento. Uma data não foi definida, mas o serviço deverá ser realizado o mais breve possível. Em caso de haver verbas, a obra de recuperação pode ser iniciada em até 25 dias, conforme garantiu. O laudo, solicitando os reparos na engrenagem e na barragem do mais antigo reservatório público do País, será apresentado na próxima semana à direção do órgão federal.

Segundo a arquiteta Célia Perdigão, da equipe técnica do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no Ceará, para liberação dos serviços basta apenas o Dnocs encaminhar o laudo técnico para apreciação.A análise do documento técnico poderá ser feita dentro de uma semana, se não houver necessidade de envio de equipe do Iphan a Quixadá. O Açude de Cedro é tombado como patrimônio histórico nacional, desde 1977.Como é preciso assegurar as características originais do reservatório imperial, torna-se necessária a avaliação do Iphan.

MAIS INFORMAÇÕES
Departamento Técnico do Dnocs
(85) 3391.5318
Superintendência Regional do Iphan
(85) 3221.2180

Alex Pimentel
Diário do Nordeste


MAT�RIAS RELACIONADAS:

0 comentários: